PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

“De esperança a esperança…” por Padre Claudio Taciano

O momento atual tem sido desafiador para muitos de nós, crentes e não crentes; cansaço, stress, desemprego, solidão, angústia etc. Mas nas horas mais difíceis temos que encontrar razões para seguirmos em frente, sem também nos esquecermos que não estamos sozinhos nesta história. Pois em sentido individual, olhar somente para si e se preocupar apenas consigo é se afogar na própria imagem refletida na água da história.

O sofrimento é inerente ao ser humano, por isso ajudar o próximo é se restaurar também, pois a dor de um reflete de alguma forma no outro. Devemos ter uma sensibilidade tal, que nos torne capazes de ouvir o grito silencioso daqueles que nem sempre tem voz e vez para pedirem socorro.

No que tange a religiosidade, sabemos que pela fé nos sentimos à vontade de pedir ajuda para aquele que não vemos, ou seja Deus; Sendo assim, deveria ser natural àqueles que invocam Deus, que se antecipassem em perceber o que os filhos e filhas de Deus, portanto, seus irmão e irmãs precisam. Vale destacar que não se trata aqui de assistencialismo barato para desencargo de consciência ou para autopromoção, mas de reconhecer que o amor foi o centro da vida de Jesus e desta forma o amor deve ser o centro da vida daqueles que creem n’Ele.

E os que não creem em Deus? Querer o bem uns dos outros é uma questão também humanitária. E todos sabemos quão bem faz amar. O amor reordena, reequilibra e cura feridas causadas pelos traumas da vida. O ser humano não se traumatiza por ser pobre de bens, mas por ser excluído, não amado e não assistido. Amar é vital, é saudável, é divino! Ame o próximo, queira bem a todos e você sentirá a força desta virtude na sua vida, na sua convivência e no seu trabalho. Por trás do medo, do desespero, da ira e da indiferença está a falta de amor. Em tempo de pandemia, cultivar bons sentimentos é uma questão não só vital, mas essencial. O amor é o nexo que une o crente e não crente, o pobre e o rico, o ser humano a Deus. O mundo tem muitos bens naturais, a ciência acumula muito conhecimento e a religião muitos ensinamentos e instruções. Mas só amor põe tudo isso para funcionar adequadamente.

(Esse texto não expressa, necessariamente, a opinião do site HojeDiário.com)