Nos últimos meses, a alta taxa de desemprego no Brasil tem sido um fator de preocupação para muitos. Com a crise econômica que não mostra sinais de melhora, a população tem estado aflita sobre as incertezas quanto a seus empregos, bem como sobre o futuro e novas perspectivas de carreira. No entanto, no meio do turbilhão de problemas, surge uma luz no fim do túnel.

Em 2020, mesmo com a instabilidade do setor financeiro, dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) apontaram que que houve o registro de 2,6 milhões de novos Microempreendedores Individuais (MEI), o que representa um grande avanço no meio do empreendedorismo e fundação de negócios como comércios e meios de prestação de serviço. Atualmente, o Brasil conta com mais de 11 milhões de MEIs em atividade.

Já segundo informações de um levantamento realizado pelo Sebrae com base em dados colhidos pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no mês de agosto de 2021 foram criadas 372,2 mil novas vagas, sendo que 70% delas, algo em torno de 265,1 mil vagas, eram provenientes de pequenos negócios.

Ainda de acordo com Caged e o Sebrae, 119,3 mil pessoas foram contratadas por empresas de pequeno porte, sendo que esse valor representa o dobro de admissões feitas por médias e grandes empresas, que só registraram 60,8 mil novos funcionários. Os números são expressivos e denotam a força do pequeno e um mundo de novas possibilidades trabalhistas para o futuro.

O quadro geral também se mostra muito otimista. Entre os meses de janeiro e agosto de 2021, das 2,2 milhões de vagas que foram criadas, mais de 15,5 milhão estavam nos pequenos negócios. Logo, é importante estar atento as oportunidades que surgem nos meios locais, muitas vezes, uma empresa criada em sua cidade pode te oferecer mais chances do que multinacionais ou velhas conhecidas do seu segmento de atuação.

O crescimento das contratações é um sinal positivo para a economia como um todo. Com o aumento nos quadros de funcionários, há indicação de que houve recuperação e melhora com a reabertura e retomada total das atividades presenciais em todos os setores de atuação, o que é positivo tanto para o setor de geração de empregos, como para a economia do país.

O Sebrae aponta que quase 30% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil é gerado a partir dos micros e pequenos empresários que atuam nos meios de Serviço, Comércio, Indústria, Construção e, até mesmo, Agronegócios. Logo, é importante termos em mente que o apoio esses empresários é essencial e ajuda a melhorar a situação de todos.

Sempre priorize fazer suas compras em redes locais, como forma de fortalecer a atuação dos negócios da cidade. Uma compra simples na livraria, papelaria do bairro, ou dar preferência a experimentar a comida de um restaurante novo do município pode ser um divisor de águas que colabora com a superação da atual crise econômica que enfrentamos.

(Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião do HojeDiário.com)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui