Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

Empreender, por si só, é um grande desafio.

PUBLICIDADE

Ter a ideia inicial, rabiscar sobre os produtos ou serviços, descobrir qual é o público-alvo e o que ele precisa são tarefas complicadas.

Sem contar com os imprevistos, as frustrações e noites sem dormir.

E quando se é mulher, então…

Ainda lidamos com as pressões sobre o que esperam de nós. Sobre o que supostamente podemos fazer e devemos ser. Em pleno 2022, vemos empresas perguntando, durante uma entrevista, se queremos ser mães, pois não é possível conciliar família e carreira.

Vemos, também, profissões que não podemos exercer. Ou se exercemos, não o fazemos com tanta dedicação quanto os homens.

Já ouvi, por exemplo, que homens são mais confiáveis para cuidar do jurídico de uma empresa, por serem mais “frios”.

Talvez este pensamento tenha aproximado alguns negócios da Justiça do Trabalho…

E é claro: quando nos destacamos, em uma empresa ou como autônomas, nunca é porque trabalhamos bem. Porque viramos noites e noites focadas em oferecer as melhores soluções para os nossos clientes.

Nunca é porque fizemos uma faculdade, um EJA, maratonamos vídeos na internet e tentamos de tudo, até dar certo.

Não. Tudo se resume a “deve ter dormido com alguém”.

Se todo o nosso esforço se resume a um simples ato, então me diga: com quem temos que “dormir” para sermos respeitadas enquanto profissionais?

Ainda não é fácil ser mulher no mercado de trabalho – como trabalhadora ou empreendedora –, mas somos nós por nós mesmas. Então, seguem abaixo algumas dicas que aprendi ao longo da minha jornada no mercado. Espero que possam te ajudar como me ajudaram. Vem comigo!

  1. Anote tudo. Da ideia mais louca até a mais pessimista, anote. Pode ser em um caderno, diário, bloco de notas do celular, grupo com você mesma no WhatsApp… Escreva tudo o que tem a ver com a sua carreira.
  2. Seja realista. E aqui não é para olhar seus sonhos e pensar: “isso nunca vai dar certo”. Ser realista é entender – até mesmo escrever – cada coisa que você precisa fazer para colocar a sua ideia em prática.
  3. Quer um exemplo? Pense em abrir uma loja de roupas no Instagram. Se você tem dificuldade com tecnologia, comece aprendendo (com parentes, amigas ou na internet) como o aplicativo funciona. Já se a questão é como gerenciar as despesas ou como fazer a entrega, uma opção é conhecer empresas para se inspirar. Descubra como elas fazem e veja o que é mais viável para você e seu futuro cliente.
  4. Documente. Seja na sua função em uma empresa ou como empreendedora, tenha “provas” de que está fazendo a sua parte. E-mails, mensagens e relatórios ajudam bastante.
  5. Crie a oportunidade. É triste dizer isso, mas o “momento ideal” pode não surgir da forma como espera. Então, um bom planejamento é muito importante para o caso de você precisar colocar a ideia em prática antes do que esperava.
  6. Seja assertiva; não impulsiva. Lembra da conversa sobre ser realista? Isso também vale para tirar a sua empresa do papel. Não queremos que a sua empresa feche no primeiro ano, então analise bem quais serão os custos do negócio e o lucro que precisa para que tudo comece a girar (e bem). Existem profissionais especializados em gestão, cursos gratuitos e grupos de empreendedorismo feminino que podem te ajudar com isso.
  7. Esteja cercada de histórias inspiradoras. Em nossas famílias ou no mundo afora, existem histórias com as quais você pode se identificar. Conheça cada uma delas e absorva os pontos mais importantes.
  8. Acredite. Você fez tudo o que tinha que fazer e sente que chegou a hora. Está com medo? Isso é normal. Você nunca estará preparada para todos os imprevistos, mas pode se preparar para lidar com cada um deles da melhor forma possível.

E lembre-se: nós somos capazes de muito mais que imaginamos.

Somos Marias e Edelzuitas. Agdas e Terezas.
Janainas, Marcelas, Alines e Rosanas.

Somos mulheres que vieram antes de nós e ainda virão ao mundo, cheias de força, coragem e capacidade.

Não importa qual trabalho você escolheu para a sua vida: faça disso uma experiência incrível.

Dê o seu primeiro passo. Eu confio em você.

P.S. Não tenho palavras para agradecer a todas as mulheres incríveis que tive e tenho a honra de conhecer. Ao lado de vocês, sou uma eterna aprendiz.

Estarei aqui aos domingos, quinzenalmente, para falar sobre LGPD e Direito do Trabalho, com dúvidas que surgem no nosso dia a dia. Envie o seu comentário, dúvida ou sugestão através do Instagram (@rebeka_assis18) ou e-mail (rebeka.assis@outlook.com)

Será um prazer falar sobre o tema de seu interesse! Até mais!

(Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do HojeDiário.com)

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui