PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

“Moda e Sustentabilidade”, por Luci Bonini

Recentemente, minha curiosidade teve seu foco na questão da moda e da sustentabilidade. Eu fiquei intrigada como as pessoas lidam com a questão do descarte de roupas velhas, como elas também fazem com as roupas que não querem mais, mas ainda estão em bom estado.

Fiz algumas pesquisas e descobri muitas coisas, entre elas aponto aqui algumas soluções, vem comigo!

As indústrias do ramo da moda também são responsáveis por gerar poluentes, considerando todo o seu processo produtivo: processamento dos tecidos, tinturas, cortes e sobras. 

Com o avanço da ciência e da tecnologia as empresas vêm criando meios para encontrar soluções que ajudem o meio ambiente. No mundo da moda o uso de tecidos sustentáveis e a reutilização dos resíduos tornam-se cada vez mais presentes.

Eu descobri que há uma inovação em tecidos sustentáveis, já sendo largamente utilizada em várias empresas e a Zero-Waste Fashion, ou a moda lixo-zero. Vamos lá que eu explico: segundo pesquisadores do setor, o Brasil é, atualmente, a 5º maior indústria têxtil do mundo e a 4º no segmento de vestuário, cuja produção média, em toneladas, é da ordem de 1,3 milhões de têxteis e 6,71 milhões de vestuários. A estimativa de resíduo na indústria têxtil brasileira é de 175 mil toneladas por ano, das quais apenas 36 mil são reaproveitadas no país, uma notícia que ainda preocupa.

A moda sustentável é aquela que busca modos de produção menos agressivos, aproveitando uma cadeia produtiva, com respeitos aos trabalhadores, principalmente. Como se sabe, há muita coisa produzida neste setor que não respeita a dignidade do trabalhador, mas isso fica para outro texto.

Atualmente existem tecidos sustentáveis, novos materiais, extraídos de vários elementos da natureza que substituem o couro, por exemplo, entre eles: resíduos de cascas de coco, fibra das folhas de abacaxi, bactéria do ácido lático entre outras, lã feita a partir do cânhamo e do coco e fios e corantes que vêm da natureza.

No Brasil e no mundo, existem empresas diversas que também atuam com a Moda Lixo-zero: algumas empresas produzem roupas com algodão colorido organicamente, empresas que apenas usam o linho e o algodão, o artesanato e sobras das indústrias têxteis tais como seda, linho e algodão e couro das indústrias calçadistas.

Pelo mundo existem iniciativas de duas fábricas da Nike nos Estados Unidos que usam 25% de lixo reciclado, uma empresa chamada Girlfriend Collective, cujas roupas são feitas de tecidos advindos de garrafas PET, essas são bons exemplos, embora existam outras ainda!

Não podemos nos esquecer dos aplicativos disponibilizados em vários países, também, em que as pessoas vendem as roupas, sapatos e outros objetos os quais já não servem mais, ou já não são mais desejados.

Se muitos abraçarem essas ideias, o meio ambiente agradeceria!

(Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do HojeDiario.com)