Cotado para o TCE-SP, deputado e ex-prefeito de Mogi das Cruzes, Bertaiolli enfrenta acusações de improbidade até em compra de carne para merenda

Marco Bertaiolli, ex-prefeito de Mogi das Cruzes e deputado federal, é considerado favorito para a vaga de conselheiro do TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo). No entanto, o deputado é alvo de quatro ações de improbidade administrativa referentes ao seu mandato como prefeito entre 2009 e 2016.

Bertaiolli tem apoio dos presidentes do Partido Social Democrático (PSD), Gilberto Kassab, e do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto. A vaga no TCE-SP estará disponível em setembro com a aposentadoria do conselheiro Edgard Camargo Rodrigues. A nomeação do ex-prefeito parece contar com a aprovação do governador Tarcísio de Freitas.

Sobre as acusações, destaca-se uma relacionada a superfaturamento na compra de carnes para merenda escolar, em parceria com a empresa Comercial de Alimentos Famaca, entre 2014 e 2015. A investigação indica um valor de R$ 3,7 milhões, enquanto os documentos mostram um total de R$ 7 milhões. O quilo do fígado, por exemplo, teria sido adquirido por um valor de R$ 16,30, enquanto no atacado custava R$ 8,58.

Além disso, outras ações envolvem alegadas irregularidades em contratos da Prefeitura com o consórcio Trânsito Seguro sobre sinalização de trânsito, gerando um suposto prejuízo de R$ 3,6 milhões. Outro caso refere-se a alegações de sobrepreço na compra de uniformes esportivos e instalação de materiais publicitários, com prejuízos estimados em R$ 20 mil.

A Promotoria pede ressarcimento de R$ 3,4 milhões por danos ao erário público, além de multa e suspensão dos direitos políticos de Bertaiolli.
Os casos ainda estão pendentes de julgamento.

A reportagem do portal HojeDiario.com tentou contato com Bertaiolli e sua assessoria, mas não obteve sucesso.