Mogi das Cruzes realiza evento de resultado da primeira etapa do projeto “Mogi 500 Anos”

Na última quarta-feira (20), no auditório do Cemforpe, a Prefeitura de Mogi das Cruzes apresentou o resultado da primeira etapa do projeto “Mogi 500 Anos: conhecendo o Presente para Construir o Futuro”, intitulado “Diagnóstico: Mogi até Hoje”. Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão Estratégica (SEPLAG), o projeto é um plano de metas de desenvolvimento da cidade com foco no longo prazo, com a participação da população Mogiana para dialogar sobre os principais desafios do município.

Além disso, o prefeito Caio Cunha assinou uma autorização para a criação de um conselho que ficará responsável pelo acompanhamento do projeto “Mogi 500 Anos”. Com os dados e evidências apresentados, serão realizados projetos de planejamento a médio e longo para o município de Mogi das Cruzes daqui a 40 anos.

No evento, cerca de 600 cidadãos mogianos estiveram presentes das mais diversas áreas profissionais, autoridades políticas, representantes de entidades, associações, terceiro setor e lideranças comunitárias. O evento contou com uma apresentação especial da Orquestra Sinfônica Jovem.

Estiveram presentes também diversas crianças que integram o projeto ‘Detetives do Nosso Bairro’, que relataram o que desejam para o seu futuro. Com os jovens participantes do ‘Empodera Juventudes’, foi possível conhecer mais sobre o projeto Mogi 500 Anos, além de sua importância à população juvenil.

“Estamos colocando Mogi na rota do desenvolvimento. Mais do que crescer, queremos que Mogi se desenvolva e por isso estamos planejando a cidade a médio e longo prazo. Hoje conhecemos o diagnóstico de como a cidade está, o que as pessoas esperam que melhore para que, na próxima fase, ocorra o apontamento de metas a serem cumpridas ao longo dos próximos anos”, ressaltou o prefeito Caio Cunha.

A autorização assinada pelo prefeito define como será executado o conselho responsável a inovação e estratégia pelo projeto “Mogi 500 Anos”. O comitê receberá o setor público e privado, além de universidades, terceiro setor e sociedade civil com foco na instância de temas pertinentes ao projeto. Através da reunião será criada uma organização social, sem fins lucrativos, com o intuito de pensar estrategicamente visando o desenvolvimento de longo prazo do município.

O evento marca o início da segunda fase do projeto visando identificar qual “A Cidade que sonhamos e que precisamos”, que promove a construção das metas e dos projetos que serão prioritários para atingir estas metas. Essa etapa também é promovida por meio de diálogos com o munícipes efetuando os trabalhos através da população.

Diagnóstico: Mogi até Hoje

Para a realização da primeira fase, a SEPLAG executou inúmeras ações mediante a um levantamento técnico efetuado pela consultoria Macroplan, que possuiu um apoio financeiro do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), no valor de R$ 500 mil. Além disso, a secretaria realizou diálogos com Grupos de Trabalho Temáticos para discutir o futuro da cidade, bem como operações executadas por secretarias municipais que auxiliaram no processo de diagnóstico.

Segundo o secretário municipal de Planejamento e Gestão Estratégica, Lucas Porto, o diagnóstico foi exercido mediante a visão de 1,8 mil adultos e 1,8 mil crianças mogianas. Por meio do diálogo, foram ouvidos qual a avaliação da população em relação à qualidade de vida, fluidez no trânsito, equipamentos de saúde, atendimento à terceira idade, entre outros. O questionamento incluiu ainda como os munícipes enxergam a cidade de Mogi das Cruzes em 40 anos.

“É possível, por exemplo, identificar pontos que precisam de um planejamento mais estruturado, como mais atenção à saúde, à educação e à mobilidade”, explica o secretário, Lucas Porto.

O secretário complementa, que através desse diagnóstico foi possível atender as demanda antigas e concluir algumas entregas efetivas na área da saúde, como o novo Complexo Integrado de Atendimento à Saúde (CIAS), a atualização do Pró-Hiper e duas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs). 

Em relação à área da mobilidade, inúmeras atualizações recentes foram implementadas na cidade, como a retirada da antiga rotatória no encontro da avenida Prefeito Carlos Ferreira Lopes com as ruas Carlos Baratino e Manoel de Oliveira, próximo ao Mercado do Produtor, no bairro Mogilar. A ação foi executada a partir de demandas da população visando promover maior fluidez e segurança ao tráfego de pedestre e automóveis.

Durante o evento, o arquiteto Ciro Pirondi apresentou brevemente o projeto ‘Rio dos Horizontes’ e as possibilidades para a arquitetura da cidade envolvendo a parte rural.

“Nós apresentamos todo o diagnóstico do que foi feito nos últimos anos e agora a construção de novas metas e desafios para os próximos anos para desenvolver cada vez mais uma cidade melhor, mais inteligente, mais saudável e principalmente com mais qualidade de vida”, finaliza o prefeito Caio Cunha.

Lançado em junho de 2022, o projeto Mogi 500 anos está dividido em três etapas: “Diagnóstico: Mogi até Hoje”, “A Cidade que Sonhamos e que Precisamos” e “Caminhos Estratégicos”. A iniciativa tem como intuito melhorar a qualidade de vida dos cidadãos a partir de suas próprias visões, além de propor projetos a longo prazo, reinventar a relação entre a iniciativa privada e o poder público, fortalecer a economia do futuro. Além disso, o projeto busca fundamentar o planejamento mediante a princípios de sustentabilidade, buscando o equilíbrio ambiental, social e econômico.

Foto: Warley Kenji / Prefeitura de Mogi das Cruzes
Foto: Warley Kenji / Prefeitura de Mogi das Cruzes
Foto: Warley Kenji / Prefeitura de Mogi das Cruzes
Foto: Warley Kenji / Prefeitura de Mogi das Cruzes
Foto: Warley Kenji / Prefeitura de Mogi das Cruzes