PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

“Três pontos para garantir um bom 2024 para a sua empresa”, por Rebeka Assis

Se o ano só começa após o Carnaval, precisamos cuidar dele agora, para que tenhamos bons resultados. Passadas as festas, podemos já dizer que acabaram as desculpas para não começar a organizar o ano da sua empresa, não é?

Brincadeiras à parte, a gente sabe que nem sempre o planejamento ideal para a nossa empresa é o que conseguimos colocar em prática no momento.

No melhor dos mundos, o 2024 do seu negócio precisaria estar organizado ainda em 2023. Mas se a correria foi grande ou se você não sabia por onde começar, continue a leitura e descubra como ter um 2024 saudável para a sua empresa.

Primeiramente…

Considere essas dicas um “start”. Isto é, algo que toda empresa precisa ter organizado, para ter um ano mais calmo e estável, inclusive para os imprevistos. Contudo, o seu negócio é algo único e só você sabe o que funciona e, principalmente, como tudo funciona, na prática.

Sendo assim, confira as dicas desse texto e tire um tempinho para refletir se é o caso de organizar outras coisas além do que foi proposto aqui, ok?

Então, bora!

Reveja os contratos

Isso vale para qualquer momento, mas sempre recomendo que as empresas comecem o ano com uma boa revisão de seus contratos. E isso porque:

  • Te ajuda a organizar os prazos de renovação, pagamento e até te prepara para possíveis atualizações, como um reajuste nos valores de uma prestação de serviços, por exemplo; e
  • Liga um sinal de alerta para situações em que os contratos são necessários, mas não existem, como a contratação de funcionários “de boca”. Infelizmente, é uma situação muito comum e extremamente arriscada, tanto para o funcionário quanto para a empresa.

Com isso, você garante que o seu negócio esteja de acordo com a lei e ainda evita transtornos por “brechas” em relações comerciais ou trabalhistas. E claro: não deixe de contar com um advogado para isso.

Falando em lei…

A sua empresa está cumprindo com todas as determinações legais?

Pergunto isso porque, além da legislação comum – leis trabalhistas, tributárias, empresariais – também há as normas específicas para determinados ramos de atividade. E acredite: cumprir cada uma delas não é uma opção.

Um exemplo muito comum é o setor de bares e restaurantes. Estabelecimentos que vendem alimentos possuem suas próprias regras, como os critérios da Vigilância Sanitária. Por isso, vale muito a pena tirar um tempo para analisar o que está sendo cumprido ou não. Isso previne multas administrativas, processos judiciais e até o encerramento do seu negócio.

Então, não deixe pra depois, tá bom? Você não vai querer essa dor de cabeça.

Revise o atendimento

Seja por telefone, chat ou presencial: a sua empresa se comunica com os clientes de alguma forma. Por isso, é imprescindível observar e ajustar a forma como o atendimento ao cliente está sendo feito. Assim como um bom atendimento pode alavancar as suas vendas e criar um ótimo “boca a boca”, o contrário também acontece (e se duvidar, em uma proporção ainda maior).

E bato nessa tecla porque cansei de ver empresas patrocinando posts nas redes, anúncios no Google, entregando panfletos com promoções e na hora de entrar em contato… o cliente é mal atendido. Logo, ofereça treinamentos à sua equipe e/ou contrate especialistas no assunto, para garantir que a comunicação com o seu cliente seja mais um diferencial.

E aí, curtiu as dicas? Prometa a si mesma(o) que não vai deixar essas reflexões para depois, viu?! Caso contrário, poderá ser tarde.

E aí, você tem alguma dúvida que gostaria de ver respondida aqui na coluna?

Envie uma mensagem no meu Instagram ou um e-mail para contato@rebekaassis.com.br, e eu terei todo o prazer em responder.

Aproveite e conheça meu trabalho em www.rebekaassis.com.br.

Bom trabalho e até semana que vem!

(Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do HojeDiario.com)