PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

“O “boca a boca” ainda funciona?”, por Rebeka Assis

Com a internet no nosso dia a dia, muitas pessoas ainda se questionam se a indicação de algum parente ou amigo ainda tem valor. E você, considera o “boca a boca” na hora de escolher algum produto ou serviço?

Nos últimos anos, a procura por avaliações virtuais aumentaram consideravelmente. Uma pesquisa encomendada pelo Google Brasil identificou que nove em cada dez brasileiros pesquisam sobre um produto ou loja na internet, antes de realizar uma compra.

Com essa realidade, muitos lojistas se questionam sobre o que pode fazer a diferença na hora da “decisão final”. E acredite se quiser, mas a indicação de conhecidos ainda é importante pra muita gente.

Quer entender mais sobre? Continue a leitura!

Sem fórmula mágica

Seguindo na mesma linha, um estudo realizado pela consultoria global PwC identificou que, além do hábito de pesquisar na internet, 31% dos brasileiros pedem a opinião de parentes, amigos ou colegas sobre um produto ou serviço.

Logo, não há outra forma de se “resguardar” de um comentário negativo que não seja… oferecer uma experiência positiva!

Pode parecer óbvio ou redundante, mas toda venda que a sua empresa realiza é importante. Por isso, manter um padrão de qualidade para os atendimentos – e por todo o processo de venda e pós-venda, é algo imprescindível.

Afinal, ninguém dará uma boa indicação sobre os seus produtos ou serviços se ela não teve uma boa experiência no momento da compra.

Ou um ou outro?

Com a evolução que presenciamos todos os dias, é impossível escolher apenas a indicação ou a presença na internet, como forma de atrair clientes.

Para manter uma empresa saudável, é importante diversificar as formas de prospecção e, principalmente, lidar com elas de uma forma natural, fazendo com que uma complemente a outra. Assim, o seu possível cliente terá vários elementos positivos para decidir por comprar um produto ou serviço com a sua empresa.

Então, uma ideia interessante é unir o melhor dos dois mundos:

  • entregando um atendimento ao cliente de excelência, tratando-o com educação e transparência, antes, durante e após a venda; e
  • manter informações fundamentais sobre a sua empresa na internet, tendo uma presença atualizada nos meios digitais e dando ênfase para as avaliações online.

Inclusive, se o seu cliente tiver uma boa experiência no “ao vivo”, ele poderá falar da sua empresa para familiares e amigos (entregando uma indicação de confiança) e até deixar uma avaliação positiva sobre a sua loja, como aquelas que aparecem no Google Meu Negócio.

Isso atrairá potenciais clientes que pesquisarão sobre a sua empresa e, assim, o ciclo recomeça.

Espero que tenha gostado das dicas. Reflita sobre o assunto e coloque em prática o que fizer sentido para você.

Bom trabalho e até semana que vem!

E aí, você tem alguma dúvida que gostaria de ver respondida aqui na coluna?

Envie uma mensagem no meu Instagram ou um e-mail para contato@rebekaassis.com.br, e eu terei todo o prazer em responder.

Aproveite e conheça meu trabalho em www.rebekaassis.com.br.

(Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do HojeDiario.com)