PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Artistas plásticos de Suzano se destacam em exposições na cidade de São Paulo que celebram à arte afro-brasileira

A cidade de Suzano está sendo representada por dois de seus talentosos artistas nas mais importantes exposições de arte afro-brasileira em São Paulo.
Elidayana Alexandrino e Diogo Nógue têm suas obras expostas no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e o Museu de Arte Moderna (MAM), respectivamente.

Elidayana Alexandrino marca sua presença no CCBB até o final de abril com a exposição “Encruzilhadas da Arte Afro-Brasileira”, sob a curadoria de Deri Andrade. Moradora de Suzano por 31 anos, Alexandrino apresenta uma instalação interativa composta por três vídeos e 135 fotografias, parte de um trabalho artístico e educativo desenvolvido ao longo de oito anos.
A mostra reúne um total de 61 artistas e 150 obras, destacando-se por sua diversidade de temas e técnicas, espalhadas por cinco andares do centro cultural.

A exposição é uma continuidade do Projeto Afro, iniciado em 2016 e oficialmente lançado em 2020, que já catalogou 300 artistas em sua plataforma. As obras expostas cobrem um amplo período da arte no Brasil, desde o século 19 até artistas contemporâneos nascidos nos anos 2000, explorando temáticas em torno de figuras emblemáticas da arte negra.

Diogo Nógue, por sua vez, levou suas ilustrações para o MAM, na exposição “Mãos: 35 anos da mão afro-brasileira”, homenageando a memória de Emanoel Araujo. Nógue, que foi professor do ensino fundamental em Suzano, explora em suas obras questões como saúde mental, violência e racismo contra homens negros, utilizando técnicas de naquim e hachuras.