PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Escolas estaduais não vão reprovar alunos por desempenho neste ano

O secretário de Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares, anunciou nesta quarta-feira (11), que a rede de ensino estadual não irá reprovar os alunos por desempenho esse ano. A decisão foi aprovada pelo Conselho Estadual da Educação e vale para todas as séries da rede pública.

Além disso, os estudantes serão matriculados em regime de progressão continuada no próximo ano. “Os estudantes de todos os anos do ensino fundamental e da 1ª e 2ª série do ensino médio, devem ser matriculados no ano ou série subsequente em 2021 no regime de progressão continuada”, explica o texto da secretaria.

Isso significa que os anos letivos de 2020 e 2021 devem ser considerados como um único ano letivo de oito bimestres. Portanto, o primeiro trimestre do ano que vem será considerado como 5º bimestre, e assim sucessivamente.

Para isso, cada aluno deverá entregar um número mínimo de atividades completas que serão determinadas por cada escola. Já que ainda de acordo com Soares, é difícil determinar um padrão para todo o estado, por isso fica a critério de cada instituição de ensino.

Os alunos do terceiro ano do ensino médio que não entregarem as atividades, não irão receber o diploma de conclusão. “Nossa orientação para as escolas estaduais é que o aluno deve seguir sua trajetória escolar”, completa o secretário.

Dessa forma, o estudante que participou das atividades propostas, mesmo que minimamente, e que tem o desempenho inferior ao esperado, ainda assim será aprovado e poderá prestar vestibular para o ensino superior.

Planejamento para 2021

Segundo a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, no mês de janeiro do ano que vem, 10 mil professores serão contratados para dar aulas de reforço nas unidades estaduais.

A ideia é ter semanas de estudo intensivo, para que os alunos consigam recuperar a aprendizagem perdida neste período de pandemia.

O ano letivo de 2021 deve ter início no dia primeiro de fevereiro, e é esperado que inicie com aulas totalmente presenciais. “Espero que tenhamos avançado, já começado com a vacina”, destacou Rossieli.

Para a volta às aulas, será aplicada uma avaliação que vai mapear o nível de conhecimento dos estudantes. E ainda, o calendário escolar também prevê o recesso de uma semana, após o 1° e 3° bimestre em abril e outubro, além das férias de 15 dias em julho.