Foto: Jeh (J. E.) Bruce/Pinterest
PUBLICIDADE

Diferentemente de todas as oportunidades que tive em publicar neste espaço aquilo que nasce da minha experiência como um ser vivente neste planeta, compartilhando minhas opiniões políticas, culturais e sociais, baseadas numa infinita corrente de aprendizagem ao longo de mais de 52 anos, quero aqui transcrever parte de um capítulo que li em um livro publicado pela editora “Academia” de autoria de Monja Coen Rôshi e Nilo André Cruz.

PUBLICIDADE

O título “Zen para distraídos” pode até sugerir um guia de autoajuda, sendo, na verdade, a organização dos muitos contatos tidos pela Monja diretamente com as pessoas que acompanham seu programa “Momento Zen” transmitido pela rádio Mundial (FM 95,7) todas as segundas-feiras das 19h30 às 19h55, em que elas trouxeram suas preocupações, angustias e alegrias diante da vida, ávidas por ouvir por parte da Monja, palavras sábias oriundas das tradições budistas, que muito contribuem com o pensamento ocidental contemporâneo.

O capítulo a que me referi, intitulado “Qual é o sentido da sua existência” é muito profundo e seu primeiro parágrafo alerta para nossa inter-relação com tudo o que existe no Universo, e eu achei isso muito lindo e gostaria que tocasse o coração de vocês da mesma forma como aconteceu comigo. Em homenagem a vocês que me leem por aqui segue o trecho:

“Somos a vida da Terra, somos filhos da Terra. Da Terra e do Sol, sem o qual não sobreviveríamos. Mas Sol e Terra não vivem se não houver esse equilíbrio cósmico entre os planetas. Somos a vida do sistema solar. Mas o sistema solar também não vive sem todos os outros sistemas e galáxias, que também não vivem sem o equilíbrio cósmico de todo o resto, que passamos a chamar de Universo e que já vem sendo chamado de Pluriverso. Nós somos a vida do infinito, feitos da mesma matéria das estrelas; somos pó de estrelas, somos luz. Por isso, aprecie cada instante. Agora, abra seu coração para a compaixão, abra sua mente Buda, iluminada, a mente que compreende com clareza todos os seres e os respeita em sua dignidade. E com isso, estenda o seu amor a toda a vida do Universo. Você se verá abençoado pela luz, por sua luz, que emana em todas as direções”.

Em tempos tão conturbados, notar a conexão que há entre todo o Universo e nós, seres tão miúdos no contexto cósmico, ajuda-nos a refletir sobre nosso papel no mundo. Que sejamos mais amorosos, tolerantes e felizes diante da vida de todos os seres que compartilham conosco a rara existência que nosso planeta tão complexamente abriga.

(Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do HojeDiário.com)

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui