“Hóspedes e compatriotas”, por Padre Claudio Taciano

Qualquer empresa atual que queira ter credibilidade nacional e internacional precisa ter em seu DNA a inclusão social e a sustentabilidade, e isso não se trata de modismo nem de conveniência, mas amadurecimento histórico e social. Não há pessoas de primeira e segunda categoria; também não somos criadores do mundo que vivemos. Somos hóspedes.

Um bom hóspede sempre zela por aquilo que recebeu. Quem quer ser respeitado precisa respeitar, quem quer sombra e água fresca precisa zelar pelo meio ambiente. Já tentou fazer seu jardim? Sua pequena horta? Isso faz bem também para alma.

A cor e a estatura, a origem e a religião, a riqueza e a pobreza não acrescentam nem diminuem a dignidade da pessoa. Agora, a criança não tem as mesmas necessidades de um adulto, nem o ancião de um jovem. Precisamos proteger os mais vulneráveis e injustiçados.

No processo histórico brasileiro e mundial houve injustiças e aberrações irreparáveis que precisam servir de bússola para lançar luzes para o aperfeiçoamento e defesa da fraternidade e da justiça social seja para a sociedade de hoje, seja para as futuras gerações. Somos os beneficiados diretos do esforço de nossos antepassados, de pessoas que nem conhecemos e nem tivemos laços afetivos. O bem e o mal feitos lá atrás interferem no nosso presente também. Pensar no futuro é também mudar o presente.

Pensar nos mais vulneráveis e no próximo, na justiça e na igualdade, no meio ambiente, e no respeito a todos e às minorias, constituem as veias que trarão mais qualidade e paz ao mundo que vivemos. Segregação social e desrespeito a natureza não combinam com um sociedade promissora. A sensibilidade e a atenção de hoje a essas coisas não é atraso, nem mordaça, é cuidado e zelo.

Quem gosta de ser ofendido e ridicularizado? Quem gosta de ser marginalizado? Podemos melhorar e evoluir. Crescer e se adaptar fazem parte da natureza, inclusive da humana.

O mal nem sempre chega de uma vez para não espantar. Ele vai encontrando espaço na sutileza de nossos hábitos, gestos e palavras. Mudar um pouquinho já representa um ‘tantão’. Deus nos ajude a vivermos em paz, com segurança alimentar e social. Deus vos abençoe!

(Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do HojeDiario.com)