PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

“Cuidado com as inconsistências, fuja da malha fina!”, por Robinson Guedes

Meus amigos, hoje venho falar sobre um dos principais vilões da tão temida malha fina: a inconsistência de valores em gastos e rendimentos. Muitos brasileiros encontram problemas no momento de declarar o Imposto de Renda por errar valores que, embora não sejam intencionalmente apresentados como menores que o montante real, ainda são vetados pela Receita Federal (RF) por conta do cruzamento de informações.

O rastreamento de dados por parte da RF é um processo legítimo e crucial para detectar fraudes e crimes. Por isso, a Receita recebe todas as informações sobre transações bancárias de forma diária, fazendo com que, nos dias atuais, a declaração configure-se quase como uma espécie de “comprovação” dos seus rendimentos, o que inclui uma ampla variedade de compras, gastos, investimentos e lucros.

Neste contexto, uma das mais úteis ferramentas para o tráfego financeiro se torna um dos principais riscos da declaração: o Pix. Sim, aquele valor que você talvez nem imagine que será creditado por ser uma movimentação simples pode te colocar na malha fina. Afinal, lembre-se que o já citado sistema de cruzamento de dados considera números, datas, recebedores, agências bancárias e outras informações inclusas neste modelo de transação.

Então, aqui deixo-lhe uma dica: é essencial que o total de notas fiscais emitidas seja maior do que o total de movimentação via Pix, semelhante a outros sistemas de pagamento utilizados, como cartão de crédito e débito, dinheiro e ticket refeição. Novamente, se você estiver em conformidade plena com a legislação, você vai ter movimentado uma quantidade menor de dinheiro em relação aos valores ganhos de acordo com o ano-calendário. O Pix não é mágico ou invisível, pois como toda movimentação, ele também é considerado nos moldes da Receita.

No cenário atual, essa é a principal fonte de preocupação, mas também nunca devemos esquecer de outros vilões da malha fina quando falamos do cruzamento de informações. Vide, caso seja verificada uma inconsistência no salário que você apontou receber em relação ao que a sua empresa alegou lhe pagar, isso já confere um sinal de alerta quanto à sua declaração. O mesmo pode ser dito quanto ao pagamento de um imóvel, de um veículo ou até mesmo com serviços básicos, tais quais a escola do seu filho ou o saldo de uma internação em um hospital, por exemplo.

Como você pode ver, o cruzamento de dados, positivo para captar tentativas de burla e crimes de sonegação, pode te enquadrar por um simples descuido. Mantenha-se atento a todas as suas movimentações financeiras e não seja vítima da malha fina!

(Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do HojeDiario.com)