Dia da Consciência Negra: O combate ao racismo estrutural e preservação da cultura afro-brasileira

O Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro em razão da morte do líder e guerreiro Quilombola, Zumbi dos Palmares, é uma data para a celebração da riqueza da cultura afro-brasileira do Brasil e da importância de combater o racismo estrutural.
Essa data integra o calendário brasileiro desde 2011, como Dia da Consciência Negra e Dia do Zumbi, através da Lei número 12.519, contudo representava o simbolismo e a representatividade negra no Brasil desde 2003 em alguns estados brasileiros.

Visando diminuir os casos de racismo no país, a Lei de número 7.716 foi promulgada em 5 de janeiro de 1989 pelo então presidente da República José Sarney que define os crimes de racismo inafiançável e imprescritível. Além disso, em 12 de janeiro de 2023, com a sanção da Lei número 14.532, pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva, tornou a prática de injúria racial, na qual se expressa em ofender alguém em razão da cor, raça ou etnia, passou a ser um modelo do crime do racismo seguindo a Lei de 1989.

Durante muito tempo, um dos maiores escritores brasileiros foi retratado erroneamente como uma pessoa branca pelo sociedade racista. Machado de Assis era neto de africanos alforriados e foi descrito pela primeira vez como branco em sua morte em 1908, enquanto a máscara mortuária apresentava traços claros de características de pessoas afro-brasileiras.

Após a ascensão de suas obras durante a República Velha, a imagem do autor foi reproduzida como uma pessoa branca, retratando o racismo que, injustamente, não identifica a qualidade de um escritor negro, diminuindo a sua capacidade. Em 1957, o escritor Rubens Magalhães Júnior, divulgou uma imagem polêmica fotografada no fim de sua vida. Retratada como “sem retoques”, a imagem apresenta o escritor como homem negro de traços africanos.

Ao longo dos anos, a comunidade negra conquistou avanços significativos, porém ainda enfrenta o racismo estrutural enraizado na sociedade.
O jogador brasileiro, Vinícius Júnior, enfrenta na Espanha inúmeros casos de racismo feitos por torcedores de outros times em partidas oficias da liga espanhola. Discriminação, ataques da imprensa, declarações de técnicos e jogadores adversários e falta de punições das autoridades aos adversários mostram o quanto o problema persiste e é fixado em toda a comunidade internacional.
Após dez denúncias de racismo contra o jogador, um clube foi punido pela primeira vez com o fechamento de uma parte do setor do estádio do clube espanhol, Valencia CF, da qual eram proferidos os maiores insultos raciais.

O Dia da Consciência Negra promove a reflexão contribuindo para a sociedade com importantes ações a respeito da desigualdade social, luta contra o racismo estrutural e visibilidade da cultura afro-brasileira, fortalecendo o vínculo com a população brasileira, possibilitando mundo mais junto e incluso independentemente da cor da pele.